Cyber Security: Segurança de dados na Era Digital

Cyber Security: Segurança de dados na Era Digital

As ameaças à segurança cibernética estão se tornando cada vez mais graves. É imperativo não apenas adotar tecnologias de segurança, mas também garantir a autenticidade dos dados usados. A Fujitsu alia Inteligência Artificial e Blockchain para criar mais segurança e confiança na Era Digital. 

O PIB global é de aproximadamente US$ 72,4 trilhões, enquanto o lucro líquido total de todas as empresas no mundo é de aproximadamente US$ 3,62 trilhões. Enquanto isso, ataques cibernéticos causaram aproximadamente US$ 543 milhões de danos: atualmente, a maioria dos danos infligidos à humanidade é atribuído a ataques cibernéticos. 

Na Era Digital, segurança é a palavra chave. Ter dados, sistemas e pessoas confiáveis é indiscutível. Ataques cibernéticos acontecem frequentemente e sistemas capazes de anteceder um ataque são imprescindíveis. A Fujitsu trabalha para garantir a segurança do projeto em todas as esferas.

Os dados pessoais ou confidenciais, por exemplo, devem ser protegidos de acordo com a Lei. Atualmente, devido ao crescimento e a disponibilidade destes dados, é preciso que haja um sistema eficiente e altamente confiável para que estes estejam protegidos.  

Pensando em Inteligência Artificial (IA) e Segurança, fica claro que os dados usados para treinar uma rede devem estar muito seguros, afinal, uma rede mal treinada vai responder erroneamente, podendo causar grandes problemas, em certos casos, até mesmo catástrofes.

Neste contexto a Fujitsu oferece a Chain Data Lineage, que identifica como os dados usados para treinar redes foram criados e assim garantem o correto funcionamento do sistema de IA. Além disto, a Chain Data Lineage usa o conceito de Blockchain para administrar toda informação e suas modificações durante um processo. Esta tecnologia também pode ser usada para identificar dados pessoais que são resguardados, e assim evitar o uso indevido dos mesmos.

Tratando-se de confiança em sistemas, a Fujitsu desenvolveu a tecnologia conhecida como high-speed forensics. Esta tecnologia checa logs em HD e outros dispositivos, e analisa como crimes foram cometidos. 

Com esta tecnologia é possível identificar um ataque cibernético em poucas horas, atividade que realizada com métodos convencionais podem levar meses para checar todos os logs do sistema e identificar o ponto de ataque. Este resultado é alcançado utilizando Deep Tensor para treinar as redes de IA.

Outro exemplo, é como garantir a segurança das pessoas e da empresa. Além de checar se a pessoa é autorizada para acessar determinado dado ou local, podemos utilizar uma identificação individual para realizar transações bancárias. 

Atualmente a autenticação biométrica em smartphones apenas identifica que aquele indivíduo é autorizado a acessar o dispositivo, mas na Era Digital a tecnologia de autenticação biométrica trará outras informações associadas. Em outras palavras, a sua autenticação biométrica será tão confiável que poderá substituir o seu RG ou CPF em transações bancárias.

Pensando neste nível de segurança, do processo de autenticação biométrica, a Fujitsu desenvolveu uma tecnologia que usa autenticação via impressão digital e identificação das veias da palma da mão. Utilizando estas duas informações de cada indivíduo a confiança na identificação da pessoa aumenta exponencialmente.

A pré-condição para gerenciar riscos de segurança cibernética são: descobrir incidentes, coletar dados e visualizar esses dados. Esse ciclo de gerenciamento é suportado por três elementos: dados corretos, infraestrutura de TI saudável (sistemas) e um escopo apropriado de compartilhamento (pessoas). Sendo assim a Fujitsu atua nos três elementos para garantir que seu sistema esteja protegido de ataques cibernéticos.

Quer saber mais?

Fechar Menu