You are currently viewing Radares: A tecnologia por trás dos radares de velocidade

Radares: A tecnologia por trás dos radares de velocidade

Compartilhe

Engana-se quem pensa que o sistema de um radar é simples. Existe muita tecnologia empregada em cada tipo de radar. 

Radares de velocidade são aparelhos capazes de monitorar o tráfego de veículos e identificar quando um deles circula acima do limite de velocidade da rodovia em questão. 

Os radares eletrônicos de velocidade são um suporte para a segurança dos motoristas que circulam nas rodovias, pois faz com que os condutores mantenham a velocidade abaixo do limite, o que por sua vez diminui o índice de acidentes.

Os radares de velocidade fixos, também conhecidos como pardais, consistem de um sistema que mede a velocidade do veiculo e registra imagens. 

O sistema que mede a velocidade do carro é composto por sensores magnéticos instalados no asfalto. Os sensores ficam dispostos de modo a identificar a presença do veículo em dois ou três pontos do asfalto. Assim, quando o veículo passa pelo sensor um sinal é enviado à central onde é medido o tempo entre os sinais e dividido pela distância entre os sensores, o que resulta na velocidade do veículo.

As linhas de distribuição da Macnica DHW com finalidades para este tipo de solução  podem oferecer o processo completo para radar de velocidade, quer ver como? Acompanhe: 

FPGAs, como o encontrado na placa Borax, são capazes de fazer todo este processamento na central, como identificar se o veículo está acima do limite de velocidade e enviar o comando para a câmera registrar a imagem da placa. 

As imagens registradas, com câmeras Leopard Imaging, por exemplo, são criptografadas com informações como data, velocidade e local. A criptografia é feita com o módulo de segurança da Maxim Integrated. As chaves de acesso ficam em posse do órgão de trânsito responsável, garantindo a segurança dos dados coletados.

FPGAs são capazes de identificar a placa do veículo, utilizando inteligência artificial, além de adicionar as informações necessárias. Após todo o processamento na edge, a informação é transmitida ao órgão de trânsito responsável via modem celular, utilizando módulos da Quectel ou Telit, finalizando o processo com o registro da infração e notificação do proprietário do veículo.

Quer saber mais? 

Fale conosco! 

Contato 

Compartilhe

Franciele Nornberg

Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC (2019), graduada em Engenharia Elétrica pelo IFSul em 2017. Trabalha na Macnica DHW desde 2019. Seu conhecimento técnico somado a utilização das boas práticas de copywriter são responsáveis pelos excelentes conteúdos divulgados no blog da Macnica. Franciele é também Instrutora Autorizada FPGA Intel e portanto, responsável pelo Treinamento FPGA Intel.