You are currently viewing Desligamento da rede 3G no Brasil? Fique atento para não ficar para trás!

Desligamento da rede 3G no Brasil? Fique atento para não ficar para trás!

Compartilhe

É fato que a cobertura 3G está diminuindo no Brasil [1].  Atualmente os brasileiros utilizam as tecnologias 2G, 3G e 4G no seu dia a dia, porém, a disponibilidade de novas tecnologias como LTE Cat-M1, NB-IoT, ambas 4G, LoRa e Sigfox está crescendo, além da expectativa do início da operação de redes 5G. Este cenário demanda a atualização na forma de se comunicar entre pessoas e máquinas.

No Brasil, existe ainda um grande número sistemas de rastreabilidade, telemetria e pontos de venda (POS – point-of-sale) mais antigos que utilizam o sinal 2G para comunicação. Essa demanda M2M (machine-to-machine) provavelmente retardará o desligamento desta tecnologia. Ao mesmo tempo em que muitas operadoras já estão fazendo o refarming de frequências utilizadas nas tecnologias 2G e 3G para promover um aumentando a cobertura 4G.

Assim, as aplicações que utilizam comunicação celular também devem modificar seus sistemas para seguir funcionando neste novo cenário. Ou seja, os sistemas que utilizam tecnologia 3G devem fazer o upgrade para tecnologia 4G, Cat-M1 e/ou NB-IoT.

As tecnologias Cat-M1 e NB-IoT são soluções de baixo consumo que podem ser utilizadas em:

 – Sistemas de rastreabilidade e monitoramento de veículos, pessoas e carga

– Telemetria e controle

– Pontos de venda (POS)

– Máquinas cartão de crédito, entre outros.

Acompanhar a evolução e utilizar as vantagens oferecidas pelas novas tecnologias Cat-M1 e NB-IoT são essenciais tanto em projetos de novos produtos quanto no upgrade dos produtos atualmente em comercialização.

Neste contexto a Telit e a Quectel oferecem módulos 4G que são compatíveis pino a pino com módulos 2G e/ou 3G mais antigos, facilitando o desenvolvimento do seu projeto em 4G e o upgrade de sistemas existentes para tecnologias Cat-M1 e NB-IoT.

Referente a Quectel podemos falar de alguns modelos, começando pelos módulos BG96 (26.5mm x 22.5mm x 2.3mm) que suportam tecnologia Cat-M1, NB-IoT e EGPRS (fallback para 2G) [2]

Os módulos BC95-G (23.6mm x 19.9mm x 2.2mm) operam em NB2-IoT [3]. Ambas as famílias tem o mesmo footprint, apesar de dimensões ligeiramente diferentes, o que possibilita o desenvolvimento do projeto com um modelo e posterior upgrade ou fallgrade se necessário, como mostra a imagem abaixo.

Além destes, a Quectel tem o módulo BC66 com dimensões menores (17.7mm x 15.8mm x 2.0mm) que operam em Cat NB1-IoT [4] apenas. 

Falando da Telit, podemos começar pelos módulos ML865C1 (24.4mm x 24.4mm x 2.4mm) [5],compatíveis com a família de produtos xL865, e ME910C1 (28mm x 28.2mm x 2.2mm) [6], compatíveis com a família de produtos xE910, que permitem operação em LTE Cat-M1 e NB1-IoT e EGPRS (fallback para 2G). 

Os módulos ME310G1, com dimensões menores (14.3mm x 13.1mm x 2.6 mm), oferecem conexão Cat-M1, NB2-IoT e EGPRS [7].

Para todos os módulos existem kits de avaliação fornecidos pela fabricante que servem como um bom ponto de partida para novos desenvolvimentos ou para atualização de produtos em comercialização. 

Compartilhe

Franciele Nornberg

Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC (2019), graduada em Engenharia Elétrica pelo IFSul em 2017. Trabalha na Macnica DHW desde 2019. Seu conhecimento técnico somado a utilização das boas práticas de copywriter são responsáveis pelos excelentes conteúdos divulgados no blog da Macnica. Franciele é também Instrutora Autorizada FPGA Intel e portanto, responsável pelo Treinamento FPGA Intel.