You are currently viewing Redes 2G e 3G serão desligadas em 5 anos
Redes 2G e 3G serão desligadas em 5 anos

Redes 2G e 3G serão desligadas em 5 anos

Compartilhe

Redes 2G e 3G serão desligadas em 5 anos, segundo projeções feitas pela GSMA, à partir de Dezembro de 2020, o Brasil passará a liderar a adoção de tecnologia 5G na América Latina para os próximos 5 anos.

Desta forma, a estimativa é que 18% das conexões móveis brasileiras sejam 5G.

Para este mesmo período, estimou-se que o México ficará em segundo lugar, com 12% da sua base com 5G.

No mesmo estudo, está previsto que a participação do 4G passará de 76% para 81% também em 5 anos.

Enquanto que o 2G cairá de 10% para 1%, representando basicamente a comunicação M2M (machine-to-machine). Por outro lado, a previsão para o 3G que hoje corresponde a 15% da base de comunicação brasileira é desaparecer, com os dispositivos migrando para 4G ou 5G.

Benefícios

O desligamento das redes 2G e 3G traz benefícios. Como, por exemplo, a abertura de espaço nas antenas e redução de gastos, principalmente com energia. Além disso, os equipamentos utilizados nas redes 5G são menores.

Em outras palavras, enquanto que equipamentos 2G e 3G são instalados com auxílio de guindastes, os equipamentos 5G podem ser instalados por duas pessoas, pois pesam em torno de 25 kg.

Experiência do consumidor com 4G e 5G

Além disso, outro beneficio da migração para as redes 4G e 5G é a experiência do consumidor. Essas redes são mais eficientes em interface aérea, quando comparadas as redes 2G e 3G.

Ou seja, é possível transmitir mais bits por segundo, além da maior capacidade proporcionada aos usuários, o que garante uma boa experiência.

Todos estes benefícios abrem caminho para inovação em vários setores. Veja alguns exemplos:

Logística

O setor logístico será um grande beneficiado com a rede 5G. A baixa latência das redes 5G habilita o uso de inteligência artificial e machine learning na logística.

Sendo assim, um grande avanço para os carros autônomos.

Leia sobre: MacniCAR em teste no Japão.

Streaming de vídeo / Videochamada

A rede 5G habilita aplicações que demandam alta capacidade de tráfego de dados como soluções voltadas para streaming de vídeo, transmissões ao vivo e vídeo chamadas.

Cidades Inteligentes

Além disso, outro setor beneficiado é o setor que trabalha com realidade aumentada e realidade virtual. A mudança que estas redes poderão proporcionar nos equipamentos M2M do 2G para NB-IoT, permitirá novas e ainda mais aplicações conectadas.

Com estas mudanças haverá um crescimento nas aplicações voltadas para o segmento cidades inteligentes (smart cities).

Tecnologia

Além das mudanças em como efetuamos as ligações com os telefones celulares e smartphones, a migração para redes 4G e 5G também afeta outros setores. Dentre eles, podemos citar as máquinas de cartão e os dispositivos M2M.

Em relação ao serviço de voz, uma opção é migrar para a base de voz VoLTE. Enquanto que os dispositivos M2M migrariam para a base NB-IoT.

Próximos passos

A previsão de 5 anos se confirmando, o Brasil, ainda tem tempo (pouco tempo) para adaptar-se e melhorar os sistemas já existentes.

Quectel e Telit

Neste contexto as fabricantes Quectel e a Telit oferecem módulos 4G que são compatíveis pino a pino com módulos 2G e/ou 3G mais antigos, o que irá facilitar muito o desenvolvimento de projetos em 4G , bem como, o upgrade de sistemas existentes para tecnologias 4G.

Somado as facilidades que as fabricantes disponibilizam para o mercado, a equipe técnica especializada da Macnica DHW possui grande experiência e irá auxiliar os seus clientes no processo de inovação e upgrade dos projetos e produtos.

E você, já sabia que as redes 2G e 3G serão desligadas em 5 anos?

Veja mais matérias como essa, acesse nosso BLOG

Compartilhe

Franciele Nornberg

Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC (2019), graduada em Engenharia Elétrica pelo IFSul em 2017. Trabalha na Macnica DHW desde 2019. Seu conhecimento técnico somado a utilização das boas práticas de copywriter são responsáveis pelos excelentes conteúdos divulgados no blog da Macnica. Franciele é também Instrutora Autorizada FPGA Intel e portanto, responsável pelo Treinamento FPGA Intel.