You are currently viewing Manutenção Preventiva: colete dados para o monitoramento de máquinas antigas
monitoramento de máquinas

Manutenção Preventiva: colete dados para o monitoramento de máquinas antigas

Compartilhe

O monitoramento de máquinas industriais em tempo real diminui os gastos com manutenção corretiva e, assim, aumenta a eficiência do processo de produção.

De acordo com o jornal Convergência Digital, uma pesquisa da KPMG sobre Indústria 4.0 no Brasil apontou que 82% das grandes indústrias e 75% do agronegócio já mantêm iniciativas relacionadas a esse conceito de inovação.

Outro dado importante que o estudo mostrou é que, entre os projetos em andamento apontados como sendo os mais relevantes pelas empresas, mais da metade deles (56% em manufatura e 58% em agronegócio) já está em produção. Enquanto que o restante (44% em manufatura e 42% em agronegócio) ainda está no estágio inicial.

Por isso, é cada vez mais importante coletar dados e obter informações a partir deles. Neste sentido, as medidas de manutenção preditiva são incentivadas e muitos equipamentos industriais já oferecem esses dados e a integração em dashboards de forma rápida, colaborando com o crescimento da Indústria 4.0.

Entretanto, isso não acontece em máquinas mais antigas. Como elas não possuem estes recursos de dados, surge a necessidade de instalação de sensores e um sistema de coleta e tratamento dos dados, para que o sistema possa ser monitorado e o processo melhorado.

Para fomentar as iniciativas da manutenção preditiva, a Macnica desenvolveu a Senspider, um dispositivo compacto que faz a coleta e tratamento local dos dados enquanto envia as informações pela rede.

A capacidade de processamento da Senspider permite que sejam executados algoritmos de inteligência artificial e machine learning. Com 4 slots para o uso dos cartões de interface é possível instalar até 8 sensores diferentes na Senspider.

  • Interface para sensores de vibrações de alta velocidade (SSPC1310)
  • Interface para sensores de propósito geral (SSPC1320)
  • Interface pra sensores de temperatura (SSPC1330)

Desta forma, fica mais fácil desenvolver plataformas de Monitoramento Baseado em Condição (CBM – Condition Based Monitoring), que são soluções de monitoramento baseadas em condições precisas e confiáveis dos ativos industriais.

Assim, é necessária uma combinação de tecnologias e considerações de projeto para capturar e converter sinais críticos em insights. Ou seja, é preciso associar a capacidade de tratamento dos dados da Senspider com sensores que farão a coleta das informações para levar a Indústria 4.0 para fabricas com máquinas antigas.

Neste ponto, os sensores da Maxim Integrated e da Analog Devices oferecem ótimas soluções para cada necessidade de monitoramento.

Sensores Maxim:

Um dos dados mais importantes das máquinas industriais é a temperatura, alterações neste parâmetro podem indicar que algo está errado no início do problema.

Visto que, um sensor de temperatura pode detectar a temperatura de um objeto ou de seu ambiente e converter a leitura em um sinal elétrico, ele se torna um importante item na implementação de soluções da manutenção preventiva.

Dentre os tipos de sensores de temperatura da Maxim estão: termopares, detectores de temperatura de resistência (RTDs), termistores, CIs de sensor de temperatura local e CIs de sensor de temperatura de diodo térmico remoto. Cada um com o seu princípio de funcionamento oferece soluções para a medição da temperatura.

Assim, a ampla seleção de circuitos interados (Cis) de sensores de temperatura baseados em silício da Maxim é possível desenvolver uma variedade de aplicações, incluindo soluções para a área médica, industrial, data center e móvel.

A Maxim também oferece controladores de ventiladores e termostatos que monitoram e controlam as velocidades dos ventiladores em aplicações de refrigeração do sistema.

Dentre as características dos produtos Maxim, destacamos:

  • Sensores de temperatura com precisão de até ±0,5℃
  • Controladores de ventoinhas com sensor de temperatura, monitoramento de tensão e GPIO
  • Sensores de temperatura remotos com até 7 canais
  • Sensor de temperatura de grau clínico com precisão de ±0,1°C

Saiba mais aqui.

Sensores Analog Devices:

No portifólio de sensores da Analog Devices (ADI) encontramos soluções de acelerômetro e giroscópio MEMS que fornecem aos projetistas componentes discretos e subsistemas iSensor® MEMS plug and play para o monitoramento de máquinas.

Além das soluções especificas as IMUs iSensor MEMS da ADI são soluções multi-eixos altamente integradas que combinam giroscópios, acelerômetros, magnetômetros, sensores de pressão e tecnologia adicional para aplicações de monitoramento de máquinas de vários graus de liberdade sob condições dinâmicas.

Veja as principais características de cada categoria de sensores da Analog Devices.

Acelerômetros

Os acelerômetros da Analog Devices e os subsistemas de acelerômetro iSensor® MEMS fornecem detecção precisa ao medir aceleração, inclinação, choque e vibração em aplicações orientadas para o desempenho. As soluções são ótimas para a indústria devido ao alto padrão nas especificações de potência, ruído, largura de banda e temperatura, além de oferecer uma variedade de sensores MEMS e integração de condicionamento de sinal no chip.

Giroscópios

Os giroscópios MEMS e os subsistemas de giroscópio iSensor® MEMS detectam e medem de forma confiável a taxa angular de um objeto sob condições operacionais complexas e severas. As opções de giroscópios MEMS incluem saída analógica e digital, alta imunidade a vibrações e choques e controle de sensibilidade à temperatura de 25 ppm/°C. Com eles é possível medir a rotação de um objeto em °/seg em uma ampla faixa dinâmica e largura de banda.

Unidades de Medição Inercial (IMU)

Os sensores da unidade de medição inercial (IMU) são baseados em combinações de giroscópios de precisão vários eixos, acelerômetros, magnetômetros e sensores de pressão. Essa tecnologia detecta e processa de forma confiável vários graus de liberdade, mesmo em aplicações altamente complexas e sob condições dinâmicas. Sem contar que as soluções são plug and play com calibração completa de fábrica, compensação integrada e processamento de sensor e uma interface programável simples, acelerando o processo de implantação do sistema de monitoramento de máquinas.

Sensores de Campo Magnético

Os sensores de campo magnético combinam a tecnologia de célula Hall integrada e circuitos de instrumentação para minimizar os desvios relacionados à temperatura associados às características da célula Hall de silício.

Tecnologia de detecção óptica

Os dispositivos de detecção óptica atingem relações sinal-ruído muito altas com a menor potência da indústria, tornando-os ideais para aplicações operadas por bateria. No portifólio estão disponíveis soluções com saída analógica e digital, aumentando o leque de aplicações dos sensores para aplicações na área da saúde, automotivas e industriais.

Sensor de temperatura e dispositivos de controle

Os dispositivos sensores de temperatura da Analog Devices detectam e medem a temperatura com precisão e confiabilidade. Os sensores de temperatura suportam uma saída analógica e um formato de saída digital para atender a uma grande variedade de aplicações finais em todos os mercados tradicionais, como industrial, comunicações e automotivo, bem como áreas emergentes, como saúde digital.

Os sensores de temperatura de dispositivos analógicos atingem uma precisão de medição de até ±0,1°C em uma ampla faixa de temperatura, são rastreáveis pelo NIST e estão prontos para o uso – plug-in, geralmente não exigindo condicionamento ou calibração de sinal adicional. Além disso, os sensores digitais de temperatura ADI podem integrar outras funções como DACs, ADCs, referências e registros de alarme de limite. Uma variedade de interfaces está disponível, incluindo I2C, SPI e PWM (para produtos digitais) e corrente e tensão (para produtos analógicos).

Entre em contato conosco para saber mais sobre as soluções apresentadas e como você pode fazer o monitoramento das máquinas com manutenção preditiva e aumentar a eficiência da sua fábrica.

Acompanhe a Macnica DHW nas Redes Sociais e saiba mais sobre a Indústria 4.0:

Compartilhe

Franciele Nornberg

Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC (2019), graduada em Engenharia Elétrica pelo IFSul em 2017. Trabalha na Macnica DHW desde 2019. Seu conhecimento técnico somado a utilização das boas práticas de copywriter são responsáveis pelos excelentes conteúdos divulgados no blog da Macnica. Franciele é também Instrutora Autorizada FPGA Intel e portanto, responsável pelo Treinamento FPGA Intel.